Como lidar com um cão brigão

Tempo de leitura: 2 minutos

Muitas vezes os cães brigões têm uma tendência natural à briga, mas, na maioria delas, são os donos que criam seus cães para gostarem de brigar.

Com procedimentos sutis e sem nenhuma intenção, a maior parte das pessoas ensina o cão a ser brigão

Uma situação comum nas praças e nas ruas onde proprietários passeiam com seus cães é a curiosidade e até mesmo uma agressividade entre dois cães que se vêem à distância. Diante dessa situação, ao perceber latidos e rosnados, o mais comum é que os donos puxem as guias para trás para tentar proteger os animais.

Você sabia que, na linguagem canina, puxar a guia significa afirmar para o animal que ele é um “valentão”? Ao ter a guia puxada, o cão entende que ele é forte e conseguirá matar o outro cão se tentar.

Assim, aquele cãozinho que já tem uma certa disposição agressiva é formado desde filhote com a sensação de que é valente e capaz de matar outro animal.

Durante todo um processo de formação, desde a tenra infância até a idade adulta, estamos criando brigões que trarão muito transtorno para os donos.

Se o seu cão avançou em outro cão, afrouxe a guia

Obviamente, faça isso apenas se estiver certo de que o outro animal não tem doenças e não apresenta riscos ao seu cão. Ao se aproximar do outro cão percebendo a guia frouxa, o seu cão ficará inseguro e toda aquela intenção inicial de agressividade vai desaparecer, principalmente quando ele tiver contato com o outro animal.

Ao ter contato com o outro cão, o seu se sentirá mais frágil e, com a repetição desse sentimento, ele entenderá que não deve brigar.

Não estimule seu cão a ser brigão! Depois, solucionar um comportamento estimulado durante toda a vida do cão, é muito mais complicado. Por isso, eduque seu cão para não ser um valentão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *